Dicas

Saiba como negociar suas dívidas em 2018

Começo de ano sempre é complicado por conta dos gastos extras. Desta forma, o Aqui-MA trouxe seis dicas para te ajudar a aprender a negociar as dívidas

Cartão de Crédito é um dos maiores vilões das dívidas

Conseguir pagar as contas no final do mês e ainda ter um dinheirinho sobrando na carteira se tornou um desafio para a maioria das pessoas nos dias atuais. Diante da instabilidade financeira que atinge todo país, é natural enfrentarmos momentos de dificuldade, a começar pelo acúmulo de contas. Além disso, sem os devidos cuidados, os problemas financeiros podem se agravar, restando aos inadimplentes recorrer a novas alternativas para sair do vermelho, como negociar as dívidas.

Existem diversos fatores que contribuem para o endividamento, entre eles o desemprego e a falta de controle na hora de comprar, porém, existem também diferentes maneiras de organizar a vida financeira e fugir das dívidas através de acordos que oferecem juros reduzidos, parcelamentos, descontos, entre outras negociações.

Apesar de seus esforços para manter as contas em dia, seu nome continua sujo e seu saldo negativado no banco? Então, para que você volte a ter noites tranquilas sem se preocupar com sua situação financeira, confira algumas dicas sobre como negociar dívidas!

Analise sua situação financeira
Antes de procurar a gerência do banco, coloque no papel a verdadeira situação financeira do seu orçamento. Lembre-se de calcular os seus rendimentos, assim como as despesas prioritárias, como saúde, alimentação e moradia. Após fazer estes cálculos, você terá o valor real que poderá ser utilizado nas parcelas da negociação. Assim, ficará mais fácil quitar as parcelas mensais.

Também avalie quanto está pagando de juros. Se estiver enrolado em créditos caros, como cheque especial e cartão de crédito, vale a pena pegar um empréstimo com baixa taxa de juros, como o oferecido pelo Just.

Avalie as condições do contrato
Assinar o contrato de negociação pode parecer o fim dos problemas, entretanto, antes de firmar o acordo, é preciso ter atenção a todas as cláusulas apresentadas. Essa avaliação é importante pois o documento pode conter irregularidades ou informações que passaram despercebidas, como juros altos, por exemplo. Neste caso, certifique-se de que tudo que foi conversado está registrado e, em casos de cobranças adicionais, procure os Órgãos de Defesa do Consumidor.

Veja como negociar dívidas em outros bancos
Nem sempre o seu banco oferecerá as melhores condições de pagamento, por isso, fazer uma pesquisa de mercado, avaliando propostas de outras instituições, pode ajudar na hora de decidir qual o melhor investimento. De modo geral, os bancos são concorrentes entre si e, assim, trabalham com taxas diferenciadas que permitem até exportar a dívida, caso seja necessário.

Verifique o prazo proposto pelo banco
Na maioria das vezes, os credores oferecem a negociação através de um parcelamento maior. Contudo, apesar do valor das parcelas serem menores, dependendo da quantidade estipulada, os juros podem aumentar muito o valor total da dívida. É importante calcular esse valor, lembrando que, com menos parcelas, a dívida poderá ser quitada mais rápido. Além disso, verifique se a taxa de juros está compatível à média do mercado.

Atenção ao entrar em contato com o banco
Atualmente, é possível fazer a negociação da dívida através da própria internet. Entretanto, apesar da facilidade, as soluções online são padronizadas e não oferecem a melhor proposta de acordo com a necessidade do devedor. Em outros casos, a negociação por telefone também exige um cuidado maior, principalmente ao guardar o número do protocolo de atendimento.

Por isso, a negociação pessoalmente tem sido a melhor alternativa. Conversando diretamente com o seu gerente, será possível expor a realidade financeira através de documentos, como extratos, comprovante de renda etc., garantindo mais chances de conseguir um desconto proporcional.

Caso o acordo seja negado, procure ajuda
Se, apesar dos seus esforços para negociar suas dívidas, você não conseguiu chegar a um acordo, procure o Procon ou a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). Esses órgãos atendem muitas pessoas endividadas ou já inadimplentes e podem te ajudar a encontrar a solução para o seu caso.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS