Operação

42 suspeitos de tráfico são presos em operação da Senarc

Megaoperação culmina na prisão de 42 pessoas ligadas ao tráfico de drogas no Maranhão. A quadrilha já tinha movimentado duas toneladas de drogas no estado

Os suspeitos foram presos em Goiás, bairros da Ilha e dentro de Pedrinhas

Em combate ao narcotráfico no Estado do Maranhão, a Polícia Civil, por intermédio da Superintendência de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), realizou uma megaoperação denominada “Libertar”, que desmontou uma organização criminosa que atuava no fornecimento de drogas para os municípios maranhenses.
Foram presos cerca de 12 suspeitos, e 30 internos indiciados, os quais responderam pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa.
As investigações iniciaram no bairro da Liberdade, onde após monitoramento chegaram ao suspeito identificado por Carlos Cesar Viegas, conhecido como “Carlito”. Na oportunidade foi verificado ele estava envolvido com o tráfico de entorpecentes. Foi descoberto pelos policias o envolvimento de Carlito, com internos do complexo penitenciário de pedrinhas e com o homem identificado por Edmilson dos Santos Lima, conhecido como “Maranhão”, natural de Coroatá.
O Maranhão estava morando no estado de Goiás, na cidade de Aparecida. Ele é considerado o maior fornecedor de maconha prensada para o estado maranhense. Durante o tempo das investigações já se constatou que essa organização já movimentou mais de duas toneladas de maconha para o estado, entre elas algumas das apreensões que a Senarc realizou ao logo do ano de 2017, são apreensões decorrentes dessa droga que eles movimentavam.
As investigações continuaram onde culminou na prisão do Edmilson dos Santos Lima. Durante a sua prisão foi encontrado com ele uma pistola calibre 380. Ainda na ocasião a Senarc realizou a detenção de Flavio Junior Bacelos Pinto, conhecido “Goiano”, que se encontrava custodiado no presidio em São Luís.
O Junior Bacelos movimentava a droga que estava nas ruas, de dentro do presidio para todo o estado, contactando a ação criminosa com o Edmilson dos Santos Lima. A ação de monitoramento foi essencial para o sucesso na operação da Polícia Civil. “É a maior ação contra uma organização criminosa no Estado do Maranhão. Uma organização voltada para o tráfico de drogas ilícitas. Esta ação segue a marca do acerto da criação da Senarc. Quero agradecer os investigadores e delegados e toda a equipe da Senarc, que desenvolvem este trabalho em favor da sociedade maranhense. O trabalho que os senhores desenvolvem é muito forte e é preciso uma ampla divulgação.  Foram realizados 18 cumprimentos de mandados de buscas, sendo 12 cumpridos. Aqui na SSP, foram apresentados mais 30 internos, os quais também estavam envolvidos diretamente com as ações crime”, disse Jefferson Portela, secretário de Segurança Pública.
O Delegado Geral, Leonardo Diniz salientou, revelou que “a atuação da Polícia Civil, por conta da Senarc, foi de certa forma inovadora pois não apenas identificou os partícipes, mas realizou as 42 prisões de forma eficiente. O Delegado Geral pontuou ainda. As prisões envolveram investigadores e delegados, onde culminou por conta da Senarc, um prejuízo de cerca de cinco milhões de reais para a facção criminosa. Essa prisão traz a sensação que o trabalho das forças de segurança está sendo realizado de forma eficaz e dá uma sensação presente e do serviço feito para a sociedade”.
Movimentação de mais de duas toneladas de entorpecentes
Durante o tempo das investigações já se constatou que essa organização já movimentou mais de duas toneladas de maconha para o estado, entre elas algumas das apreensões que a Senarc realizou ao logo do ano de 2017. As investigações iniciaram desde o início do ano, culminando nesta ação bem-sucedida, da Polícia Civil do Maranhão. “Essa quadrilha é responsável pela movimentação de mais de duas toneladas de entorpecentes”, enfatizou Carlos Alessandro, o superintendente da Senarc.
Suspeitos presos, indiciados e apresentados na SSP
A operação envolveu a princípio o bairro da Liberdade e bairros circunvizinhos, onde foram presos e apresentados na SSP: Erika Martins, Ana de Freitas, Sandro de Sousa, Larrubia dos Santos, Raimunda da Cruz, Francisca Lima, Joubertson Sampaio, EliziaMouzinho, Rosangela Batista, Letícia Ferreira Maycon Fontes e Andrea Cruz.
Já advindo no Complexo Penitenciário, foram apresentados os internos envolvidos na ação criminosa: Flávio Barcelos, Wallace Brito, Eudjohnson Cruz, Luis Sousa, Helilton Pinheiro, Lailson Furtado, Thiago da Silva, Marcos Costa Jhonatan Sá, José de Ribamar, Magno Adriano, Edgar Moraes, Keshlley Igor, Kenny Rogers, Alan de Araújo, Carlos Cesar, Cícero Cardoso, Mauro Henrique, Gesse Alves, Carlos Serra, JoarbsonCutrim, Paulo Santos  José Ribamar Silva  Railson Aires, João dos Santos,  Paulo Roberto, Jamilson Vieira Robson Oliveira e Rodrigo Silva. Todos foram encaminhados para o Sistema Prisional de São Luís e permanecerão à disposição da Justiça.
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS