Maior assalto do mundo

Foragido de Pedrinhas é suspeito de planejar roubo de R$ 1 bilhão

Marcos Paulo Chini, mais conhecido como “Papel”, foi preso como um dos integrantes da quadrilha que iria roubar cerca de R$ 1 bilhão, do Banco do Brasil de São Paulo

Marcos "Papel" é especialista em roubos a banco e foi preso após crime no Maranhão

Um dos suspeitos presos no estado de São Paulo, que estavam planejando um roubo bilionário ao Banco do Brasil, é foragido do Sistema Penitenciário do Maranhão.

Ele foi identificado como Marcos Paulo Chini, mais conhecido como “Papel”, preso nesta semana como um dos integrantes da quadrilha que gastou cerca de R$ 4 milhões, em túnel de 600 metros, que dava acesso ao Banco do Brasil. O Objetivo do bando seria roubar cerca de R$ 1 bilhão.

Marcos Paulo Chini foi beneficiado com a saída temporária do Dia das Mães, em maio deste ano e nunca mais retornou.

O pedido para a recaptura de Papel já foi feito às autoridades de São Paulo, onde ele foi preso juntamente com outras 15 pessoas envolvidas no crime, que seria considerado o maior assalto à banco do mundo. A Justiça maranhense está aguardando a resposta para recambiar o foragido. O Departamento de Roubo a Banco da Deic de São Paulo foi responsável pela prisão da quadrilha.

Crime que Marcos Chini foi preso
No dia 6 de outubro de 2015, Marcos Paulo Chini, juntamente com outros dois comparsas, assaltou a Caixa Econômica Federal (CEF) de Bacabal. O crime aconteceu em uma sexta-feira, por volta das 19h.

Três homens armados invadiram o banco e ao sair, fizeram vários disparos nos vidros. No momento da ação, ainda havia clientes utilizando os terminais de auto-atendimento. Os suspeitos roubaram cerca de R$ 1 milhão na ação criminosa.

A prisão de Marcos Chini aconteceu no aeroporto de Teresina, capital do Piauí, no dia 9 de novembro de 2015. Juntamente com Marcos, foram presos Flávio Júnior de Figueiredo e Gilson Cardoso dos Santos.

Saída Temporária
No dia 10 de maio deste ano, Marcos Papel recebeu benefício da saída temporária do Dia das Mães. O preso foi um dos 501 beneficiados e ficou entre os 46 que não retornaram ao presídio após o prazo limite, que foi o dia 18 de maio.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS