Sem grana

Presidente do Sampaio admite que salários atrasaram

“Só na semana do jogo tivemos uma despesa de R$ 40 mil, e ainda precisei utilizar meu cartão pessoal para custos extras na viagem” afirmou Sérgio Frota

Reprodução

Com 15 pontos e na vice-liderança da Série C do Brasileiro, o Sampaio Corrêa faz uma boa campanha, mas enfrenta dificuldades financeiras como cerca de 80% dos clubes do país.

O presidente do Tricolor, Sérgio Frota, revelou que o maior problema do time é a questão financeira, mas nem por isso os jogadores estão deixando de cumprir com as responsabilidades e fazem sacrifícios. “Nosso maior desafio é financeiro. Não tenho dúvidas que temos um grupo, além de comprometido, qualificado, mas não é fácil trabalhar com recursos escassos. Só na semana do jogo tivemos uma despesa de R$ 40 mil, e ainda precisei utilizar meu cartão pessoal para custos extras na viagem. Não se trata de lamentações jogadas ao vento, é a realidade que vivemos; sem apoio e receitas muito aquém das nossas necessidades”, declarou o presidente boliviano.

Frota também falou dos salários atrasados e convocou a torcida do Sampaio para encher o Castelão no clássico contra o Moto Club para tentar equilibrar as despesas. “Manter os salários em dia é simplesmente obrigação. Infelizmente, a situação não tem permitido honrar esse compromisso, e é uma situação que me incomoda bastante.

Sigo contando com o apoio do nosso torcedor, e, após a bela vitória sobre o Botafogo, espero ver o Castelão cheio, pois é um momento em que o clube realmente precisa da sua torcida”, conclamou.
Sampaio e Moto Club se enfrentam neste sábado às 16h no Castelão. Os ingressos começarão a ser vendidos nesta quarta-feira.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS