R$ 9 milhões em salários

Estreia de Conca e novos reforços elevam folha do Fla em R$ 1,5 milhão

Juntando todos os 35 atletas do elenco, a diretoria tem que pagar R$ 9 milhões por mês

Reprodução

Com 35 jogadores no elenco profissional, o Flamengo tem como lema tirar do papel e colocar em campo o alto investimento no futebol. Somente as duas contratações anunciadas nesta janela correspondem a cerca de R$ 27 milhões (R$ 22 milhões por Éverton Ribeiro, mais R$ 5 milhões por Rhodolfo). Com a estreia de Conca, mais os dois reforços e a provável chegada de Geuvânio, a folha salarial do Flamengo vai passar de R$ 9 milhões – uma das mais altas do futebol brasileiro.
O argentino tinha acordo com a diretoria de que passaria a receber no Flamengo a partir do momento que entrasse em campo e fizesse a estreia, o que aconteceu na última quarta-feira, na vitória rubro-negra sobre a Ponte Preta (2 a 0). Somados os vencimentos de Conca, mais Éverton, Rhodolfo e Geuvânio, o custo do departamento de futebol passa de R$ 9 milhões – acréscimos de R$ 1,5 milhão ao total, segundo informações do clube da Gávea.
No início do ano, o elenco foi enxugado com as saídas de Sheik, Fernandinho, Alan Patrick, Paulo Victor e Marcelo Cirino. Chegaram quatro atletas: Rômulo, Trauco, Berrío e Renê.

Vitória sai da cola de Cuéllar
A ideia da diretoria do Flamengo é avaliar propostas que pintarem por seus atletas. Mas não sairão se as ofertas não chegarem a valores interessantes para o clube – ou seja, que compense o investimento feito. Com a Copa do Brasil, o Brasileiro e a Sul-Americana ainda pela frente, o equilíbrio dentro do elenco é palavra-chave para manter o atual grupo, sem perder peças.
Assediado pelo Vitória, Cuéllar segue no clube. Depois de alguns contatos e de sinalizar com proposta oficial, o time baiano não formalizou quanto pagaria pelo empréstimo. O colombiano foi titular três vezes nas últimas cinco partidas do clube e voltou de vez aos planos de Zé Ricardo.
Se na zaga são seis zagueiros com a chegada de Rhodolfo, do meio para frente a concorrência é ainda maior. São oito meias ofensivos – Mancuello, Conca, Ederson, Éverton Ribeiro, Diego, Adryan, Lucas Paquetá e Matheus Sávio – e oito atacantes disputando posição – sem contar ainda com a chegada de Geuvânio, já treinam no Ninho Guerrero, Damião, Vizeu, Vinicius, Everton, Berrío, Gabriel e Thiago Santos.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS