Denúncia de cárcere privado

Polícia investiga o caso que chocou o estado na última quinta

A agente penitenciária Clodiany Carvalho Garcia, foi assassinada pelo companheiro, o tenente-coronel Miguel Gomes Neto, lotado em São Luís

Reprodução

O caso que chocou o estado maranhense, no último fim de semana, onde o tenente-coronel Miguel Gomes Neto, lotado em São Luís, matou a sua companheira, e agente penitenciaria, Clodiany Carvalho Garcia, e depois cometeu suicídio, já toma as primeiras formas nas investigações dos policiais.
Segundo o delegado Cristiano Morita, titular da delegacia de Barreirinhas, todos os policiais que estavam na viatura já foram ouvidos e que indícios apontam que desde a última quinta-feira (8) a vítima estava em cárcere privado.
Morita disse que o casal estava junto há setes anos e estavam a passeio em Barreirinhas. “As investigações apontam que desde a última quinta-feira, quando eles chegaram ao município, o PM estaria mantendo a senhora Cleodiany em cárcere privado. A polícia chegou até a casa do casal após a senhora Cleodiany conseguir um telefone e entrar em contato com familiares de São Luís na noite do sábado”, disse o delegado.
A guarnição chegou à casa logo após receber a denúncia na manhã do domingo. “Quando a guarnição chegou a casa, o PM recebeu a equipe todo feliz e simpático. Imediatamente a vítima saiu da casa correndo em direção aos policiais e já com marcas de agressão”, concluiu o delegado. Nesta semana a polícia irá ouvir vizinhos e amigos da vítima e aguardam os resultados do IML e ICRIM.

Abuso de autoridade em Bacabal
O tenente coronel Miguel é ex-comandante do 15º BPM de Bacabal e foi transferido para a capital no começo do ano passado, após um abuso de autoridade, onde em vídeos gravados na época mostravam ele apontando uma arma a policiais do batalhão.

Sepultamento em horários diferentes
O casal foi sepultado na tarde desta segunda-feira no cemitério Jardim da Paz. O enterro dos dois estava marcado para as 16h, porém por motivos de segurança o horário do enterro de Miguel foi antecipado para às 14h e de Clodiany permaneceu às 16h.

Entenda o caso:
Em Barreirinhas, cidade distante cerca de 360km de São Luís, um crime chocou o estado maranhense na manhã do último domingo (11). A agente penitenciária Clodiany Carvalho Garcia, foi assassinada pelo companheiro, o tenente-coronel Miguel Gomes Neto, lotado em São Luís. O crime aconteceu durante um translado em uma viatura no bairro Francilina. Os dois estariam sendo levados a delegacia do município, após denuncias de que o PM teria agredido a companheira.
A agente penitenciária ainda foi socorrida com vida e encaminhada ao hospital. De imediato foi acionado equipes do Comando Tático Aéreo, onde a mesma seria transferida para a capital. Porém, ela não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no hospital em Barreirinhas. A vítima foi morta com quatro tiros, três na cabeça e um no tórax. Logo depois o autor do crime, Miguel Gomes recorreu ao suicídio.

MOSTRAR MAIS