PAÇO DO LUMIAR

Mesmo sem filas, pessoas não conseguem marcar consultas

Algumas pessoas estão há meses tentando marcar e não conseguem

Reprodução

Pessoas que necessitam marcar consultas no atendimento publico de saúde em Paço do Lumiar dizem que, além das filas gigantescas em determinados dias, algumas especialidades médicas são quase impossíveis serem marcadas. Algumas estão há meses tentando marcar e não conseguem.
No município de Paço do Lumiar, distante 26 km de São Luís, a distribuição de senhas que acontece na sede da Secretaria de Saúde do município tem gerado aborrecimentos aos pacientes que vão em busca de determinadas especialidades médicas, pois segundo eles quem não consegue senhas nos dias específicos determinados pela Secretaria de Saúde, acaba ficando sem consultar.
A autônoma Nonata pereira de 30 anos disse que desta vez conseguiu ser atendida, pois a especialidade que precisava ainda estava disponível, mas revela que já ficou várias vezes em filas para nada. “Aqui o sistema nunca mudou, hoje quem está chegando não está ficando em fila, mas nem todo mundo consegue marcar consulta por que eles dizem que já não tem mais vaga. No começo do mês tem sempre uma fila imensa, por que tem algumas consultas que só são liberadas nesse dia”, afirma Nonata.

Distribuição de senha não comporta o atendimento
No inicio da semana pacientes já haviam reclamado que a distribuição das senhas aconteceu antes do horário marcado e com isso, pessoas que precisavam acabaram ficando sem atendimento. As marcações de consultas, que acontecem todas às primeiras segundas-feiras do mês onde são distribuídas cerca de 80 senhas de manhã e tarde, segundo os pacientes não são suficientes para o atendimento de todos.
Adriana de Jesus, de 33 anos, contou que marido, que precisava de consultas para fonoaudiologia e neurologia, foi para a fila desde as quatro horas da manhã, e mesmo assim não conseguiu marcar sua consulta. “Ele veio desde cedo, mas a fila muito grande, e as senhas não deram para todo mundo. Aí falaram para ele vir no outro dia, mas a médica que ele precisa já não tem mais vaga”.
Adriana falou que ela também, por não ter buscado mais cedo, não conseguirá marcar a consulta do filho, para psicólogo. “Eu mais tarde, cheguei aqui umas oiro e meia. Não peguei fila, mas não tinha mais senha para o que eu precisava, eles disseram que eu teria que vir mais cedo. fora que para psicólogo não tem mais, só uma vez por mês. Isso é uma vergonha, por que eu vou esperar até mês que vem para conseguir”.

Atendimentos não suprem a necessidade da população

Alguns pacientes dizem que o atendimento não supre as necessidades da população, e que esperam a construção de uma nova unidade de saúde, pois até nos atendimentos de emergência, a situação é precária.
A aposentada Antônia Ivonete fala que mesmo que é idoso precisa enfrentar filas, e que já foi aconselhada pelo próprio médico a procurar consultas na rede particular de atendimento. “Idoso fica aqui em fila no sol, fica se acabando aqui para conseguir um exame e as vezes nem consegue. O médico que me consultou para um ortopedia disse que era para eu procurar particular, porque pelo Sus eu não ia conseguir nunca”. A reportagem tentou contato com a Secretaria Municipal de Paço do Lumiar, porém sem sucesso.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS