APLICATIVO DE TRANSPORTE

SMTT aperta o cerco e apreende carros da Uber em São Luís

Tecnicamente, apps de transporte estão proibidos em São Luís

Reprodução

A última semana a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) apertou a fiscalização contra os carros da Uber e de outros aplicativos de transporte em São Luís. Viaturas estão posicionadas em locais estratégicos para perceber o movimentos dos usuários, identificar os motoristas e apreender os veículos. Só no aeroporto de São Luís, pelo menos 12 veículos foram recolhidos desde segunda-feira, segundo motoristas da Uber ouvidos pela reportagem.

A rodoviária e dois shoppings de São Luís – Rio anil e Shopping da Ilha – também são alvos da fiscalização. Uma viatura está posicionada em cada um dos locais exclusivamente para reprimir o trabalho dos carros cadastrados em aplicativos de transporte. Na área de desembarque do aeroporto uma viatura da SMTT está fixa, sempre nos horários dos principais desembarques,
incluindo a madrugada.
E a fiscalização já inibiu o tráfego deles no aeroporto de São Luís. Por isso os motoristas decidiram não parar mais na área de desembarque. Sempre que recebem um chamado, ligam para o usuário e combinam o encontro no estacionamento do aeroporto. Além disso, criaram grupos de Whatsapp para se comunicar e fugir da fiscalização. Por enquanto, o movimento tem dado certo.
Em São Luís existem dois aplicativos que oferecem o serviço: Uber e YetGo. Só na Uber, segundo a empresa, já existem aproximadamente 900 motoristas cadastrados. E a ordem da corporação é não parar, mesmo após a promulgação da lei – pela Câmara de São Luís – que proíbe os aplicativos de
transporte na cidade.
Para garantir a segurança dos motoristas, a Uber decidiu dar apoio jurídico aos motoristas que caem na fiscalização. Sempre que tem carros apreendidos, a corporação paga a multa e aciona o Detran para garantir a liberação dos veículos. E em poucos dias os motoristas estão de volta ao
trabalho.

Tecnicamente, Uber está proibido
Tecnicamente, apps de transporte estão proibidos em São Luís. A Câmara de São Luís cedeu a pressão dos taxistas e decidiu aprovar projeto de lei 119/2015, de autoria da à época vereadora Luciana Mendes, que proíbe os aplicativos. E tem recebido o apoio da Prefeitura na guerra contra eles. O enquadramento jurídico é o mesmo utilizado no combate dos chamados “carrinhos”, que, mesmo após anos de fiscalização, continuam circulando livremente na cidade.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS