Bateu na mãe!

Vídeo mostra homem agredindo a mãe de 84 anos

Ele diz que sofrer de esquizofrenia. O suspeito foi preso e encaminhado ao Complexo de Pedrinhas

Reprodução

A população da capital maranhense ficou chocada com três vídeos que mostravam um homem agredindo a própria mãe, uma idosa de 84 anos. Nas imagens ficava claro o desespero da vítima, que tratava o filho como se fosse um “algoz”. As agressões aconteciam dentro da casa onde ela morava com o filho, no bairro do Vinhais.
Joseth Coutinho Martins pedia por favor para não ser agredida e o Roberto Elísio Coutinho de Freitas, de 50 anos, mandava a todo instante a mãe “calar a boca”. Um tom ameaçador contra um rosto fragilizado pelo medo. Assim as imagens mostraram as agressões, que foram gravadas e denunciadas pela esposa de Elísio.
O crime foi descoberto após a divulgação dos vídeos de maus tratos nas redes sociais. A vítima está sob os cuidados do neto, filho de Roberto.
EXAME DE CORPO DE DELITO
Por volta das 9h40 a vítima chegou ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exames de corpo de delito. Nossa equipe de reportagem, com exclusividade, acompanhou a chegada da senhora ao IML. Junto a ela estava sua cuidadora e a assistente social da Delegacia do Idoso. A assistente social do IML também prestou ajuda. Dona Joseth chegou com uma roupa estampada e fragilizada pela doença: alzheimer. A vítima tinha marcas roxas na mão direita e umas avermelhadas no pescoço.
DETERMINAÇÃO DE PRISÃO
Após autoridades da capital maranhense tomarem ciência do caso, de imediato foi tomado as providências cabíveis. A juíza Oriana Gomes, da 8ª Vara Criminal de São Luís, decretou a prisão preventiva de Roberto por agressão e mal trato à idosa. Em diligência, a guarnição, junto aos delegados responsáveis por investigar o crime, foram à residência de Roberto, mas não o encontrou. Em questões de minutos a polícia recebeu informações do paradeiro dele. Ele foi capturado na Raposa, cidade da região metropolitana de São Luís, na casa de membros da família e depois encaminhado à sede da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), onde foi interrogado pela delegada Igliana Freitas. Junto com Roberto chegou a sua mulher, responsável pelas gravações dos vídeos e outros familiares.
DEPOIMENTO A IMPRENSA
Logo após ser interrogado pelos delegados, Roberto Elísio prestou depoimento à imprensa e autoridades na SSP-MA. Na casa da vítima, foram encontradas munições calibre 38 e os documentos de uma pistola, que não foi encontrada pelos policiais. “Perguntamos ao autor do crime de onde viria as munições calibre 38. Segundo ele, seria de um amigo”, disse o superintendente da Polícia Civil da capital, Armando Pacheco.
Ainda foi encontrado no local um DVR com imagens internas, que será analisado pela polícia. De acordo com Roberto, os vídeos foram gravados no início do ano pela sua esposa. Ele afirma que a mulher já tinha o alertado da necessidade de tratamentos. “Só que eu não busquei, fiquei por isso e aguardei o tempo passar”. O autor do crime afirma que tem esquizofrenia e que a mãe foi diagnosticada ano passado com Alzheimer. “O médico dela ainda mandou eu procurar um tratamento psicológico para lidar com a doença dela, pois pessoas como ela tem picos diferente. Mas não procurei por desleixo meu. As pessoas estão me condenando injustamente, eu também sou doente”. Perguntado quando o diagnóstico foi feito e por qual profissional, Roberto declarou que descobriu a doença há mais de três anos, mas nunca buscou tratamento. “O médico não mora mais aqui, ele foi pra Fortaleza e não sei o nome dele”, disse.
O CURIOSO
Segundo Delegado Armando Pacheco à senhora recebia uma quantia de R$ 38.590,78, e após essa aposentadoria, o filho da idosa abandonou o serviço para morar com ela. “Além desse valor nós iremos investigar os empréstimos que foram feitos na conta da vítima. Vamos saber quem foi o autor desses empréstimos”, disse o delegado. Nossa reportagem perguntou a Roberto o porque ele ter deixado o emprego pra morar com a mãe, ele disse. “Queria cuidar dela. Ela é tudo pra mim”, então porque você a agredia? “Eu já disse somos doentes”, finalizou.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS